terça-feira, 18 de abril de 2017

Subterfúgio Antropofágico

Subterfúgio Antropofágico


Meus sonhos estão esquecidos
No fundo da gaveta
Amassados numa garrafa qualquer
Vendidos por uma vida "normal"
Sem mal
Sem tal
Sem sal

Meus anseios foram engolidos
Minimamente deglutidos
Mastigados e mitigados sofregamente
Como quem engole sapo
Sem trato
Sem tato
Sem papo

Minha vida foi dilacerada
Como colisão frontal
Uma profusão de dor e sangue
Estrebuchando no chão
Sem comunhão
Sem mansidão
Sem compaixão

E o que me resta é o fim dos tempos
Certeira lança fincada
E meu subterfúgio antropofágico
É me consumir
Sem fingir
Sem sumir
Sem partir

De fato.





-------------------------------------------------------------------

"Where do you go when you're lonely? Where do you go when you're blue? (...) When the stars go blue..."