sexta-feira, 30 de março de 2018

Presente

Presente

Tua ausência abrupta
A forma como tua vida foi ceifada
O sangue inocente que jorrou
E inundou o país
Transbordou pelo mundo
Fazem de ti símbolo de um povo.

Tua luta, tua lida
Teu suor, teu sacrifício
Marcaram o mapa
E ecoaram no universo

Do Rio pra Eternidade
Eternizada em muros
Discursos, lágrimas
Trabalho, corações.

Que peguem e prendam
O(s) algoz(es)
Que agora gozam
Liberdade.

Que tua alma ganhe asas
Que tua memória ganhe terreno
Que teu discurso ganhe voz
Que teu legado receba justiça.

Marielle vive
Marielle grite
Marielle lute
Marielle, presente!

Fonte: Google Imagens

"Como é difícil acordar calado, se na calada da noite eu me dano. Quero lançar um grito desumano, que é uma maneira de ser escutado. Esse silêncio todo me atordoa, e atordoado eu permaneço atento.  Na arquibancada pra a qualquer momento, ver emergir o monstro da lagoa."

--------------------------------------

Eu deixei passar os primeiros dias para poder postar a minha homenagem, tão singela. Seria hipocrisia falar que conhecia o seu trabalho. Eu conhecia o seu nome, por sempre pesquisar por mulheres na política.

A ferocidade com que a atacaram após a sua morte, é quase tão horripilante quanto a matar. Quem aperta o botão que propaga as notícias falsas, é tão sem escrúpulos quanto quem apertou o gatilho.

Não nos calemos, não abaixemos a nossa cabeça; Não vamos fingir que nada aconteceu, e Anderson e Marielle não terão partido em vão.


sábado, 27 de janeiro de 2018

Na hora mais escura

Na hora mais escura
Quando a pálida lua
É só uma mancha no céu,
O breu envolve meu corpo
O frio abraça minha alma
E minha lágrima fecunda o medo.
A angústia corre em segredo
Pelas minhas veias
No lugar do sangue.

Na hora mais escura
Quando o baixo ssussuro
Vira grito desesperado,
Eu fecho os olhos e tapo os ouvidos
E passo a ouvir meus brados internos Agudos e intensos.
Com a sufocante sensação
De dor e abafamento
Parecido com morrer afogado.

Na hora mais escura
As preces são mais fervorosas
A fé é muralha de ferro,
O medo é um abutre faminto
Que acompanha de perto
E se alimenta de sofrimento.
As incertezas são banhadas
Pelas lágrimas fria
De mais um alvorescer.



"Minha laranjeira verde, por que está tão prateada? Foi da lua dessa noite, do sereno da madrugada. Tenho um sorriso bobo, parecido com soluço, enquanto o caos segue em frente, com toda a calma do mundo."

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Criação

Criação

O mundo ficou mais bonito quando você nasceu:
O sol brilhou mais forte
A brisa soprou mais suavemente
A grama ficou mais verde
O mar se acalmou e veio beijar a areia
Um beijo doce, suave
Como a sua existência.
O sol se pôs
Derramando sobre o céu
O vermelho aveludado de seus últimos raios.
A noite veio com seu negrume
Porém a lua e as estrelas
Brilharam mais intensamente
O mundo ficou mais iluminado
Deus atingiu o ápice da Criação:
Você nasceu.

Fonte: Pixabay

-------------------------------------------------------------

"Deus sabe a minha confissão. Não há o que perdoar, por isso mesmo é que há de haver mais compaixão."

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Decisão

Decisão

Fica.
Mas fica porque você quer ficar.
E não porque meus olhos marejam
Quando você caminha em direção à porta.

Fica.
Mas fica porque não consegue ir.
Porque teu riso ganha vida
E se abre, largo, quando estamos juntos.

Fica.
Mas fica porque aqui é melhor.
Porque meus braços são a perfeita morada
Que te aquecem, te acolhem e te acendem.

Fica.
Mas fica porque sou tua escolha.
E não a última opção, obra do acaso
Que nas noites frias atende o telefone.

Fica.
Mas fica porque me ama.
Para que eu possa, enfim, mandar embora essa saudade
Que chega, antes mesmo de você partir.


Fonte: Shutterstock

------------------------------------------------------------

"Se você quiser e vier, pro que der e vier, comigo, eu lhe prometo o sol, se hoje o sol sair. Ou a chuva, se a chuva cair."

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Oca

As bolas de algodão passeavam por sua face. Aos poucos, revelava seu rosto real, enquanto a cara maquiagem tingia a bolota branca e macia em sua mão.

Assim, de cabelos presos e rosto limpo, lembrava apenas vagamente a mulher que era durante o dia. As bolsas arroxeadas sob os olhos eram constantes agora. Era necessário muito corretivo e pó para deixar a pele apresentável.

Andreia sentia o peso da idade. Seus 32 anos, cheios de baladas e vida noturna, além da constante cara fechada, faziam-lhe rugas próximas aos olhos. As mãos, antes macias, começavam a apresentar algumas manchas e aspereza.

Olhou-se francamente no espelho, e não gostou do que viu. Não se via na mulher madura que o reflexo lhe mostrava. Não conseguia se enxergar sem as roupas de grife, a maquiagem impecável e todos os adereços luxuosos que ostentava. Assim, despida de tudo o que lhe compunha, era somente mais uma, e ela gostava mesmo era do destaque.

Deitou, mas não conseguiu dormir. Rolava pela cama vazia, pensando em sua vida. Mais de 30 anos, morando com a mãe, em um emprego que não via muita evolução, sem um namorado fixo e sem nada que fosse seu de verdade, além das dívidas em seu nome dos cartões de crédito.