quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Versos de açúcar com canela.

Porque hoje a angústia está falando mais alto. Vem pra casa logo, vó!


E na Bahia nasceu aquela
Que fez de mim quem eu sou
E nestes versos de açúcar e canela
Vou contar como começou.

Nasceu em família grande
Muitos irmãos, muito amor
E desde o primeiro instante
Foi guerreira, sim senhor.

E a menina virou Nina
Bela moça, cor de canela
É pura sabedoria que ensina
É toda amor, é toda ela.

Dez rebentos que aqui ficaram
Criados na luta, no suor da batalha
E mais sete que não vingaram
Fizeram-na sentir a dor da mortalha.

Menina esperta, como um leão
Alma, doce, açúcar e mel
É sangue forte que bate no coração
E de "pai" faz também o papel.

Com a vida, vieram muitas agruras
Que nem cabem em minhas plangências
Prefiro o sorriso meigo das travessuras
A lembrar-me a dor das últimas urgências.

És toda flor, essência na veia a pulsar
Com tal bravura, és a nossa heroína
És forte, és fé, és Rocha do Mar
És puro amor, és canção, és Marina.






"Faz tempo eu quis fazer uma canção pra você viver mais."

Atualização: Escrevi este poema no dia 19/12/12. Ela se foi no dia 21/12/12. Esteja onde estiver, e eu sei que é um bom lugar, saiba que eu te amo demais, pra sempre. Obrigada por tudo ♥

Nenhum comentário:

Postar um comentário